Homilia - 4º Domingo da Quaresma


Domingo passado, com a samaritana, água; hoje as leituras tratam de outro tema vital, a luz. De fato, no Evangelho, a reflexão parte da cura de um mendigo, cego de nascença.

Hoje, nós somos o cego do Evangelho. O mundo é um mundo de trevas, onde você se acostuma rapidamente à ausência de luz.


Além disso, há momentos na nossa vida pessoal em que afundamos na noite, onde a escuridão distingue nossas escolhas, nosso caminho. Uma noite na qual podemos entrar após um evento difícil, um luto, um fracasso, um erro.

Penso em alguém que teve uma ou mais mortes na família; penso naqueles que lutam na cama, ou talvez apenas em uma maca, nas enfermarias de um hospital; penso naqueles que hoje em dia nem sequer têm tempo ou direito de dizer "estou cansado", porque são chamados a trabalhar turnos cansativos para enfrentar uma emergência que sabe muito bem que a qualquer momento eles poderiam viver em sua própria carne.


Nunca como neste momento precisamos de luz, para esperar à luz com esta tragédia da epidemia de Covid-19 com a qual estamos lutando há meses e não podemos vencer.

Jesus foi causa de uma grande alegria para aquele cego de nascimento, a quem outorgou a vista corporal e a luz espiritual. O cego acreditou e recebeu a luz de Cristo.

Estamos com sede e Cristo é a água. Somos cegos e Cristo é a luz. Ele é a luz do mundo, a luz que ilumina as trevas e que tem o poder de romper toda escuridão.

Nós recebemos a luz de Jesus Cristo e faz falta que toda a nossa vida seja iluminada por essa luz. Mais ainda, esta luz resplandecerá na santidade da vida para que atraia a muitos que ainda a desconhecem. Tudo isso supõe conversão e crescimento na caridade.


Fica atento: O pecado, o querer viver longe da luz do Senhor, pode nos separar da luz e da alegria que nos dá Jesus Cristo. Na verdade, o pecado é o arquiteto da verdadeira cegueira, aquele que impede a pessoa de "ver" a realidade profunda e que se satisfaz apenas em "olhar" vagamente. Olhar sem ver é típico daqueles que não se envolvem com eventos e situações e vivem dia a dia ou se satisfazem com a superficialidade de suas vidas. Desafortunadamente, muitos —as vezes, nós mesmos— entramos neste tenebroso caminho e perdemos a luz e a paz.


A Páscoa está perto e o Senhor quer comunicar-nos toda a alegria da Ressurreição. Disponhamo-nos para acolhê-la e celebrá-la e pedimos ao Senhor por nós o milagre da luz, da esperança neste momento difícil que estamos passando em todo o mundo por causa do Covid-19.


Deixemos a luz do céu entrar em nossa vida e expulsar toda situação de trevas.

Renovemos a nossa confiança no Senhor que fez o céu e fez a terra e que tem o poder de nos livrar de todos os males.


Deus abençoe você!


Pe. Richard Gerard, CS

PARÓQUIA SÃO JOSÉ E SANTA FELICIDADE

Missionários Scalabrinianos - Arquidiocese de Curitiba

 

Telefone/WhatsApp: 41 3372 1417

paroquiasantafelicidade@mitradecuritiba.org.br

Av. Manoel Ribas, 6252 - Santa Felicidade, Curitiba, PR

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey YouTube Icon

© 2020 Paróquia São José e Santa Felicidade - Todos os direitos reservados

Desenvolvido pela Pastoral da Comunicação